quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

O DELE

Sonhar não um sonho seu;
Sonhar, mas o sonho do outro.
Cair de seu sonho
E sonhar por ele
Sem interferir-lhe a trama onírica;
Que não é sua.

Um sonho-balão
Em cujo cesto você deitasse
E simplesmente se deixasse
Levar
Por um balão
Que não é
Seu sonho;
Em que um outro,
Ausente,
Tivesse esquecido
Ou abandonado
Seu sonho -balão
No espaço celeste,
Num éter qualquer.

E você,
Sem que precisasse
Ou mesmo quisesse,
Não fosse mais,
Sendo entretanto
O sonho de outro.

Em seu desfalecimento,
Pousasse adormecido.

(fevereiro de 2009)

Um comentário:

M. disse...

Sublime, brilhante, delicado e verdadeiro pacarai.
Parabéns.